Suculentas – Tem como não amar?

As suculentas têm sido as plantas queridinhas da decoração já há algum tempo e não é pra menos. Não há como não gostar delas, já que podem ter as mais variadas formas, tamanhos, cores e texturas. Existem cerca de 22 mil espécies de suculentas no mundo. Com tanta variedade, elas se encaixam perfeitamente tanto em decorações simples e rústicas, quanto nas mais chiques e sofisticadas. Ficam lindas, inclusive, em decoração de festas – de aniversários infantis a casamentos – se forem dadas como lembrança da festa então… É um banho de charme e delicadeza, além de sustentável! Vou te convencer de vez a amar essas gracinhas: elas exigem pouco cuidado e são um tipo de planta bem barato! Tem como não amar?

Criei este arranjo plantando diferentes espécies de suculentas em potes de vidro reaproveitados. Estão crescendo bastante! 😀

Como cuidar

Muita gente já teve suculentas em casa e elas acabaram morrendo. Eu sou uma dessas pessoas. Descobri que, na verdade, elas morriam por excesso de cuidado – basicamente: água demais.

A principal característica das suculentas é reter água em suas folhas, galhos ou tronco, por isso elas têm as folhas gordinhas. São típicas de regiões secas e quentes, assim como os cactus. Isso faz com que sejam muito resistentes, porém, o que é fatal para elas é o excesso de água e falta de sol.

Elas se dão muito bem em ambientes externos, onde recebem muita luz do sol. Isso, inclusive, acentua a coloração das folhas de algumas espécies. Mas também se adaptam bem a ambientes internos, desde que recebam boa quantidade de luz do sol, mesmo que indiretamente. O ideal é que fiquem próximas a janelas.

A rega deve ser feita uma vez por semana em tempo quente e a cada duas semanas ou uma vez por mês em tempo frio. Deposite a água diretamente no solo, não sobre as folhas, e nunca deixe o solo encharcar. Eu uso uma seringa para regar os vasos pequenos. Se você perceber que o solo ainda está úmido, espere até que fique seco para fazer a próxima rega.

Como plantar e cultivar

Um solo compacto retém muita água e isso faz com que a planta apodreça, portanto, as suculentas precisam de um solo leve e aerado.

– No fundo do vaso, coloque algumas pedrinhas ou argila expandida. Preencha com uma mistura de dois terços de terra para um terço de areia de rio.

– Manuseie as suculentas com muito cuidado, pois são plantas delicadas e suas folhas se soltam com facilidade. Faça um buraquinho e enterre apenas as raízes, deixando a terra fofinha.

– Para finalizar, você pode cobrir a terra com pedriscos, cascas de árvore, areia branca ou pedrinhas de aquário.

– Se o vaso não tiver furos embaixo para facilitar a drenagem, utilize ainda menos água para as regas.

Para cultivar novas suculentas, basta retirar uma folha e deixá-la diretamente sobre a terra. Regue somente depois de uma semana. Em pouco tempo ela criará raízes e uma nova plantinha crescerá.

Basta deixar as folhas sobre a terra para que novas mudinhas nasçam.

Como usá-las na decoração

Confira abaixo uma seleção de imagens com diversas ideias para fazer das suculentas grandes personagens da decoração de sua casa ou festa.

Fonte da imagem – Decoração simples e rústica com suculentas.
Fonte da imagem – As suculentas marcam presença mesmo em decorações requintadas.
Fonte da imagem – Linda mesa de casamento decorada com suculentas.
Fonte da imagem – Mesa do bolo de festa infantil: decoração criativa e divertida com suculentas.
Fonte da imagem – Suculentas como lembrancinhas de festa.
Fonte da imagem – Suculentas de diversas espécies em um terrário.
Fonte da imagem – Jardim externo com suculentas.

Já se apaixonou por essas lindas? Tem alguma em casa ou pretende ter? Tem outra  sugestão de uso na decoração? Conta aqui pra mim nos comentários!

Aproveite e leia também esses textos relacionados:

Jardim dentro de casa

É possível fazer uma festa sustentável!

Thi Garcia

Sou fascinado pela beleza do nosso Planeta, doido por experimentar e descobrir todas as cores, aromas e sabores que a Natureza guarda. Vejo o mundo como uma criança que nada entende, mas tudo quer aprender. Através das mãos, dou vazão à criatividade que batuca na minha cabeça, desenhando, pintando, costurando, cozinhando ou construindo.A ideia de parar de comer carne foi a primeira tesourada para cortar as amarras de todos os paradigmas que me impedem de alçar voo neste Universo, compreendê-lo e tomar consciência do meu papel como parte Dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *