Proteínas Vegetais X Animais + Receita de Homus

Antes de decidir primeiramente restringir e depois eliminar a ingestão de alimentos de origem animal, eu vinha de um longo caminho de dieta alimentar totalmente orientada ao crescimento muscular, ou seja, afinado com a onda fitness que desde aquela época já tomava conta das redes sociais digitais. Em todas as minhas refeições principais e também nos lanches havia quantidades consideráveis de proteínas de origem animal. Inicialmente, era difícil conceber uma rotina alimentar sem produtos decorrentes da ordenha ou do abate de animais.

Foi só quando abri mão dos meus objetivos puramente estéticos por uma causa que começa em mim pra depois se espalhar pelo Planeta, que decidi abraçar o vegetarianismo estrito. Mas depois, aprendendo sobre a abundante oferta de nutrientes do reino vegetal, descobri que não necessariamente precisava ter percorrido esse caminho inicial, ou seja, eu poderia seguir com meus objetivos de ganho muscular juntamente com a adoção de uma dieta alimentar mais ética e consciente.

Como a maioria das pessoas, eu acreditava que só conseguimos obter proteínas através da ingestão de carnes, ovos, leite e derivados, mas isso não é verdade. Uma dieta variada em verduras, frutas, legumes, cereais e leguminosas é suficiente para suprirmos todas as nossas necessidades de proteínas, carboidratos, vitaminas e sais minerais. Se você duvida eu te convido a assistir à introdução do vídeo cujo link disponibilizarei mais à frente neste post.

Um exemplo claro dessa transição são os meus lanches da manhã e da tarde. Quando acreditava que as proteínas de que precisava só seriam obtidas a partir do sacrifício de animais, comia sanduíches de atum e queijo branco todos os dias. Hoje, meus sanduíches tem Homus (pasta de grão-de-bico) e pasta de amendoim integral, duas baitas fontes de proteína vegetal.

O Homus é uma excelente alternativa para substituição das carnes e os queijos nos sanduíches, seja por opção permanente ou desejo de às vezes dar aquela variada. Aliás, quando recebemos pessoas aqui em casa e apresentamos o homus no café da manhã, invariavelmente somos solicitados a passar a receita.

Então, para respondermos a todos de uma vez e da maneira mais clara possível, fizemos um vídeo! 🙂

Clica aqui no link e vem ser feliz com essa maravilha das Arábias!

HOMUS

Ingredientes:

2 xícaras de grão de bico cozido

2 colheres (sopa) de tahine (pasta de gergelim)

Suco de 1 limão

2 dentes de alho

2 colheres (chá) de zaatar (tempero árabe) ou cominho

1 colher (sopa) de azeite de oliva

Sal e pimenta do reino a gosto

Como fazer:

  1. Deixe o grão de bico de molho por pelo menos 8 horas, como mostramos neste post aqui
  2. Escorra a água do molho e cozinhe o grão de bico por 20 min em fogo médio ou até conseguir espetar os grãos com um garfo com facilidade
  3. Espere o grão de bico esfriar e reserve um pouco da água do cozimento
  4. Adicione o grão de bico cozido, escorrido e frio junto com os demais ingredientes num processador de alimentos e misture bem até virar uma pasta. Se tiver dificuldades em obter o ponto vá adicionando, aos poucos, a água do cozimento reservada no passo 3 acima
  5. Transfira a pasta para um recipiente e regue com um pouco de azeite de oliva.

E aí, vamos fazer? CURTE, COMENTA E COMPARTILHA essa dica com o mundo! Ah, e aproveita para curtir nosso canal no Youtube!

Adonis Carvalho

Escrevo uns rabiscos desde que me lancei na aventura de procurar me entender neste mundo, prática que me fez sobreviver aos intervalos tediosos das aulas de Cálculo na Faculdade de Engenharia. Vi toda minha vida se transformar desde que decidi dar o primeiro tímido passo rumo a uma dieta alimentar saudável. Meu interesse pela culinária natural é uma reação aos sustos que tomava quando passei a ler com atenção os rótulos dos ultra processados multicoloridos dos supermercados. Acredito na força e na beleza da vida e amo profunda e verdadeiramente este planeta Terra.

Thi Garcia

Sou fascinado pela beleza do nosso Planeta, doido por experimentar e descobrir todas as cores, aromas e sabores que a Natureza guarda. Vejo o mundo como uma criança que nada entende, mas tudo quer aprender. Através das mãos, dou vazão à criatividade que batuca na minha cabeça, desenhando, pintando, costurando, cozinhando ou construindo.A ideia de parar de comer carne foi a primeira tesourada para cortar as amarras de todos os paradigmas que me impedem de alçar voo neste Universo, compreendê-lo e tomar consciência do meu papel como parte Dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: