Projeto Nossa Casa – Lembranças de viagem

Projeto Nossa Casa – Lembranças de viagem

Há um tempo, mudei minha forma de curtir viagens. Se antes eu me interessava apenas em conhecer pontos turísticos e festas, e me baseava nesses atrativos para escolher os destinos de viagem, hoje me interesso pela história de cada lugar, por como as pessoas de lá vivem, pela cultura, pelas belezas naturais e, cada vez mais, pela arte e artesanato locais.

Patinhos de madeira de Paraty

Já contei aqui que Adonis e eu nos mudamos de um apartamento minúsculo para uma casa grande há um ano e meio. Temos desenhado a decoração aos poucos, não só limitados pelo custo alto de decorar uma casa toda praticamente do zero, mas interessados em fazer disso um projeto que acompanhe nossa vida e reflita as diferentes fases e experiências pelas quais passarmos.

Por isso, desde então, um dos meus principais interesses de viagem é adquirir objetos artesanais produzidos nos locais que visitamos. Normalmente, são peças de pequeno valor financeiro, mas que carregam imensa quantidade de história e afeto, e que refletem um pouco da nossa personalidade ao revelarem os lugares por onde passamos e o que decidimos levar conosco desse lugar.

Onça esculpida em madeira molongó da comunidade ribeirinha de Jamaraquá e luminária com escultura de guará da ilha de Marajó – PA. No fundo, manta peruana trazida por uma amiga

Neste ano, fizemos uma viagem ao Pará, onde nos encantamos com as cestas e mandalas de palha produzidas pelas mulheres da comunidade ribeirinha de Urucureá, às margens do Rio Tapajós. Lá, elas colhem a palha de folha de palmeiras, a tingem com corantes naturais e tão habilmente criam seus produtos com lindas cores e desenhos. No Pará, também visitamos a Ilha de Marajó, de onde, claro, não poderíamos sair sem um exemplar da incrível cerâmica marajoara. Os artesãos do ateliê que visitamos estudam as cerâmicas produzidas pelos habitantes locais até 1600 anos atrás a fim de identificá-las e reproduzi-las em suas peças.    

Cestos de palha da comunidade ribeirinha de Urucureá e cerâmica marajoara

De uma viagem rápida à Bahia, trouxemos um jogo americano e um barquinho de madeira, comprados no Mercado Modelo em Salvador e uma escultura em cerâmica da feira de Alagoinhas.

Nossa coleção de ímãs de geladeira, cada um de um lugar que visitamos

Nossa última viagem foi a Paraty. Essa cidade histórica é tão cheia de arte e cultura que dá vontade de trazer tudo para casa, mas só dá pra trazer um pouquinho, né? Em suas lojas do centro histórico, é possível encontrar várias peças artesanais que representam a cultura local, sejam simples ou mais refinadas, assim como obras de arte de diversos artistas que lá residem. Muitas pessoas vendem sua arte pelas ruas também, como aquarelas, caricaturas, cestaria quilombola e muitos artigos das comunidades indígenas existentes na região.

Barco e escultura de peixes de Paraty e barco a vela de Salvador

Rodear-se de objetos adquiridos em viagens nos traz, a todo momento, lembranças de bons momentos vividos em diferentes lugares e com diferentes pessoas, e nos faz perceber a linda diversidade de culturas do nosso planeta. Também é uma ótima oportunidade para contar as histórias de cada objeto a quem vem nos visitar.

Thi Garcia

Sou fascinado pela beleza do nosso Planeta, doido por experimentar e descobrir todas as cores, aromas e sabores que a Natureza guarda. Vejo o mundo como uma criança que nada entende, mas tudo quer aprender. Através das mãos, dou vazão à criatividade que batuca na minha cabeça, desenhando, pintando, costurando, cozinhando ou construindo.A ideia de parar de comer carne foi a primeira tesourada para cortar as amarras de todos os paradigmas que me impedem de alçar voo neste Universo, compreendê-lo e tomar consciência do meu papel como parte Dele.


Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: