Projeto Nossa Casa – A parede preta

Quando nos mudamos para nossa casa atual, encontramos todas as paredes brancas. Durante um tempo, questões mais práticas como colocar armários na cozinha estiveram à frente de pintar as paredes na nossa lista de prioridades. Mas resolvidos os itens mais importantes, toda aquela brancura começou a incomodar um pouco. Então veio a ideia: vamos pintar uma parede de preto!

Como era antes – a parede branca e Odara tentando imaginar como seria o resultado final.

Essa ideia não veio do nada. Durante muito tempo eu pensei, pesquisei cores, testei com aplicativos de celular que inserem virtualmente a cor na parede, mas não me decidia. Até escrevi um post sobre as cores estão em tendência, que você pode ver clicando aqui. Como temos cômodos grandes, muitas luz entrando pelas janelas e decidimos que as outras paredes iam continuar brancas, resolvi radicalizar.

Fazendo o “recorte” da pintura.

Paredes pintadas com tinta lousa dentro de casa estiveram em alta na decoração por algum tempo e eu achei que seria ideal para aquela parede específica, já que é relativamente pequena, num ambiente entre a sala de estar e a cozinha, onde criamos um canto alemão com bancos e mesa de madeira de demolição para fazermos as refeições. Claro que junta-se a isso o fato de eu ter toda uma parede onde poderia desenhar o que eu quisesse.

Pintura pronta, mas com a tinta ainda molhada.

O processo foi relativamente simples e feito todo em uma tarde por mim mesmo:
– Lixei rapidamente a parede para que a tinta fosse melhor absorvida.
– Limpei com um pano para retirar o pó.
– Demarquei com fita crepe toda a área a ser pintada para evitar borrões.
– Com um pincel fiz todo o “recorte”, que é pintar todas as bordas, tomando cuidado para não borrar.
– Com um rolo pintei toda a parede. Foram necessárias duas demãos para uma cobertura homogênea, mas isso depende de cada parede e da tinta usada. É preciso observar o tempo de espera, indicado na embalagem da tinta, entre uma demão e outra.
– Usei tinta esmalte fosca na cor preta e bastou uma lata pequena de 900 ml.

Primeira versão do desenho.

Então chegou a hora da diversão: desenhar com giz na parede! A pedido do Adonis, fiz um Buda usando giz molhado para durar mais e não fazer tanto pó. Depois de um tempo, me deu vontade de trabalhar a pintura do desenho, adicionando mais cores e sombreados. Quando bater outra inspiração, eu mudo o desenho. Hehe.

Versão final do mural.

Uma parede lousa também é legal para quem não sabe ou não gosta de desenhar. Ela serve para escrever recados, o cardápio da semana, frases inspiradoras ou seu poema preferido. E aí? Que tal fazer aí na sua casa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *